Plano CV cota 8,43877 | Plano PAI I cota 1,50503 | INPC 0,40% | Poupança 0,37% Dados Outubro
INFRAPREV

Cota do Plano CV é menor em julho

17/08/2016

A rentabilidade dos investimentos em julho foi de menos 1,89% e ocasionou diminuição na cota do Plano de Contribuição Variável (Plano CV), que fechou em 7,093910815. Foi uma variação negativa de 2,10% em relação a cota do mês anterior. O resultado foi impactado pelo fundo de investimentos em participações Global Equity Properties (FIP GEP) que faz parte do segmento de Investimentos Estruturados.

O Infraprev precisou contabilizar, em julho, perda do FIP GEP com foco em empreendimentos imobiliários. Até 2014, o fundo tinha uma boa performance e começou a apresentar dificuldades, quando o mercado imobiliário foi afetado pela crise econômica. Foram detectados, também, problemas de gestão do fundo que estava a cargo da empresa Global Equity Properties. Quanto a esse fato, o Instituto, em conjunto com os outros cotistas (Funcef, Petros, Previ, Fapes, Celos e Banesprev), tomará as medidas cabíveis para apurar as responsabilidades e obter o devido ressarcimento.

A aplicação no FIP de maneira nenhuma inviabiliza o Infraprev, que tem recursos suficientes para honrar os compromissos previdenciários correntes e futuros com os participantes. O Instituto tem um desempenho consistente no longo prazo para garantia do pagamento dos benefícios. Nos últimos 15 anos, o patrimônio cresceu seis vezes, passando de R$ 453 milhões (dezembro de 2002), para R$ 3.129 bilhões (julho de 2016). O resultado representa aumento de 737,20%, para uma meta atuarial de 512,23%. A rentabilidade nesse mesmo período foi de 605,83%, também superior à meta.

Embora, nesse momento, a reserva de poupança dos participantes ativos tenha sido afetada, ocasionando redução da projeção do benefício futuro no curto prazo, o desempenho dos investimentos irá recompor os recursos financeiros no longo prazo. Indicadores dão sinal de recuperação da economia brasileira. Há melhora de alguns índices, que demonstra que o Brasil começa a retomada da economia, que vai refletir positivamente nos investimentos.

SOBRE O FUNDO DE INVESTIMENTO

O Infraprev investiu R$ 56 milhões no FIP GEP, um fundo de participações imobiliárias constituído por 29 empreendimentos, a maioria residencial. A aplicação começou em 2008. Na época, com o mercado imobiliário em expansão e a taxa média de retorno esperada da ordem de 34% ao ano, as análises técnicas apontavam boas perspectivas de resultados financeiros para o FIP GEP no longo prazo. A tendência da queda da taxa de juros (Selic) foi, também, um fator analisado para a aplicação. Pois, quando isso ocorre, os investidores precisam aplicar em ativos que proporcionem retornos compatíveis com os compromissos previdenciários.

Com a crise do mercado imobiliário e o fechamento da linha de crédito para os incorporadores, situação que provocou vertiginosa queda nas vendas de imóveis, o FIP GEP passou a ter dificuldades para concluir as obras.

O Infraprev foi o primeiro cotista a buscar soluções para minimizar as perdas do investimento provocadas pela crise do FIP GEP. O Instituto percebeu a má gestão, por diversas vezes cobrou informações do gestor - a Global Equity Properties - e sugeriu aos demais cotistas, que também são fundos de pensão, a substituição desta empresa, que foi realizada em 2015.

O novo gestor, a Brasil Plural, e os cotistas trabalharam nos últimos meses para buscar soluções que equacionassem os problemas do FIP. Para não provocar mais perdas, o relatório final do novo gestor apontou a necessidade de adoção de um plano de ação ordenado para extinção do FIP, em até dois anos.

INFRAPREV AUMENTOU PROTEÇÃO

O Infraprev vem perseguindo a melhoria do processo decisório de investimentos, criando mecanismos de monitoramento e controle de riscos para aumentar a proteção do Instituto. Reforçou a governança corporativa e criou em 2015 o Comitê Gestor de Riscos, além de uma área específica para analisar e monitorar fundos de investimento em participações (FIPs).

Instituiu, também, uma gerência para tratar dos investimentos no segmento imobiliário. Todas as aplicações do Infraprev possuem embasamentos técnicos rigorosos. No entanto, o Instituto, como qualquer outro investidor, através de análises e estratégias, trabalha para minimizar os riscos das aplicações.