Plano CV cota 7,7997024 | Plano PAI I cota 1,4470186 | INPC 0,37% | Poupança 0,47% Dados Outubro
INFRAPREV

INFRAPREV avalia impacto da redução da taxa de juros nos planos de benefícios

13/08/2012

O INFRAPREV está realizando estudos técnicos para avaliar o impacto da queda da taxa de juros nos seus planos de benefícios. A redução da taxa vai demandar mais recursos para a cobertura das aposentadorias. Por isso, é preciso que o Instituto trabalhe com expectativas de retorno reais, mais aderente ao cenário econômico.

Diante dessa nova realidade do mercado financeiro, a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), órgão fiscalizador dos fundos de pensão, elabora proposta de alteração da taxa máxima permitida, que hoje é de 6% ao ano. No entanto, alguns fundos de pensão já se anteciparam e reduziram a meta de rentabilidade.

Essa iniciativa da Previc comprova que o próprio governo quer amenizar os riscos de valorização do rendimento na hora de avaliar se os recursos serão ou não suficientes para bancar as aposentadorias dos participantes no futuro.

Meta atuarial - A meta atuarial é um balizador dos planos de benefícios, que demonstra se eles estão equilibrados. Essa meta é a rentabilidade mínima necessária dos investimentos para garantir o cumprimento dos compromissos atuais e futuros dos fundos de pensão. No INFRAPREV a meta atuarial é composta pela taxa de juros combinada ao índice de inflação (o do mês anterior de referência): 6% ao ano + INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). O máximo determinado pela Previc.

A taxa de juros no Brasil está se aproximando do menor nível histórico, similar aos padrões internacionais. Segundo a chefe da Assessoria Atuarial do INFRAPREV, Cláudia Balula, “A nova realidade exige uma mudança de cultura, sendo imprescindível a adoção de procedimentos que garantam mais transparência, minimizem os impactos decorrentes desse novo cenário e assegurem os direitos dos participantes”.

Medidas adotadas - O assunto vem sendo monitorado já há alguns anos pelo Instituto. Os estudos de aderência das premissas atuariais, metodologia que avalia os riscos de cumprimento de pagamento dos benefícios é uma ferramenta. Assim como a avaliação dos cenários para elaboração da Política de Investimentos, com projeção dos recursos e fluxo de caixa necessário para honrar os compromissos previdenciários.

O INFRAPREV já adotou medidas para minimizar os riscos como, a segregação real dos recursos financeiros por plano de benefícios e a diversificação dos investimentos com o objetivo de aumentar a rentabilidade das aplicações.

Assim, as mudanças já implantadas e aquelas em curso, certamente, proporcionarão maior segurança aos planos de benefícios, pois o Instituto passará a trabalhar com expectativas de retornos reais ainda mais aderentes ao cenário econômico futuro, de forma a garantir aos seus participantes e assistidos resultados ainda mais consistentes com a realidade do mercado.