Plano CV cota 8,7707 | Plano PAI I cota 1,5201 | INPC 0,54% | Poupança 0,37% Dados Fevereiro
INFRAPREV

Infraprev divulga resultados dos Planos em 2018

19/03/2019

Todos os planos obtiveram superávit no ano

O Infraprev divulga nesta data os resultados alcançados em 2018 pelos seus planos de benefícios. O Instituto, cuja principal patrocinadora é a Infraero, administra um total de R$ 3,4 bilhões de recursos e em dezembro de 2018 possuía 12.673 participantes. 

PLANO CV

O Plano de Contribuição Variável encerrou 2018 com rentabilidade bruta de 8,93%. Mesmo tendo alcançado um resultado levemente inferior à meta atuarial (INPC+ 5,60% a.a.) de 9,36% no mesmo período, sua performance foi em linha com o mercado de previdência complementar e atingiu 139% do CDI, principal indicador econômico utilizado como referência pelos bancos para remunerar os investimentos dos seus clientes, mostrando que a rentabilidade foi satisfatória.

A rentabilidade do plano também foi superior à média da indústria tanto das entidades de previdência complementar abertas quanto das entidades fechadas. O levantamento da rentabilidade mediana das entidades fechadas feito pela consultoria financeira Aditus mostra uma rentabilidade de 8,76% para planos de contribuição variável, enquanto os dados da Economática apresentam o resultado das entidades abertas (fundos de previdência PGBL e VGBL) com uma média de 7,82%.

O total de recursos garantidores do plano fechou o ano em R$ 3,26 bilhões, tendo uma variação positiva de 5,7% em relação a dezembro de 2017.

A rentabilidade da cota do plano, líquida das taxas, ficou em 8,60%.


Rentabilidade por segmento

Dentre os segmentos investidos, a renda fixa, que apresenta maior representatividade no plano (70% de participação), obteve retorno de 10,06%, bem superior à meta atuarial e aos principais indicadores econômicos. Entre os outros segmentos, o melhor desempenho foi na carteira de empréstimos, com 16,12%; seguido por renda variável, com 10,63% e investimentos estruturados, com 8,16%. 

Já o segmento imobiliário apresentou rentabilidade negativa de 2,42%. O setor imobiliário vem passando por uma crise nos últimos anos, com elevada vacância das lajes corporativas, que influencia diretamente e de forma negativa no valor dos imóveis que são utilizados para renda, que é o caso do Infraprev. 

O investimento no exterior, cuja primeira aplicação no segmento foi realizada em novembro, apresentou rentabilidade negativa de 10,27%. “O percentual investido nesse segmento corresponde a apenas 0,23% do total de recursos garantidores do Plano e seu investimento, com proteção cambial, teve como objetivo diversificar o investimento em renda variável no Brasil. O curto período (novembro e dezembro) não é suficiente para fazer uma análise da tendência da estratégia”, explicou a Diretora de Administração e Finanças, Juliana Koehler.



Resultado Financeiro

O Plano CV registrou superávit no ano de R$ 17,04 milhões, diminuindo o déficit técnico acumulado para R$ 47,6 milhões. “Além do resultado positivo dos investimentos, a própria avaliação atuarial também ajudou o resultado. É importante lembrar que em dois anos o Plano CV já reduziu o déficit em R$ 106 milhões”, esclareceu Juliana Koehler. Abaixo o resultado do Plano CV:


                R$ mil



O Ajuste de Precificação (2) pode ser entendido como uma antecipação dos ganhos que decorrem da manutenção de títulos públicos indexados à inflação que estejam classificados como “mantidos até o vencimento”. Esse valor é somado ao Resultado Acumulado do ano (1) para encontrar o resultado do plano. O Equilíbrio Técnico Ajustado (3) é o valor que a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) verifica para termos de equacionamento. Esse número fechou em R$ 16,54 milhões positivos, ou seja, superavitário.

Esse resultado está dentro do Limite de Déficit para Equacionar (4) permitido pela legislação, não sendo necessário elaborar um plano de equacionamento de déficit para o exercício de 2019. O Plano CV poderia apresentar um resultado deficitário de até R$ 73,442 milhões.  


PLANO BDI SALDADO 

Com patrimônio de R$ 86 milhões, o Plano de Benefício Definido – Plano BD I Saldado, fechado a nova adesões desde 2000, obteve rentabilidade acumulada no ano de 9,76% e superou a meta atuarial (INPC + 5,44% a.a.) de 9,19%. Os melhores desempenhos foram nos segmentos de empréstimos, com 20,32%; investimentos estruturados, com 14,57%; e de renda fixa; com 9,56%. 

O Plano apresentou superávit técnico de R$ 1,06 milhão em 2018, e com isso o superávit acumulado ficou em R$ 8,23 milhões. Esse valor foi contabilizado como Reserva de Contingência, cujo objetivo é dar cobertura no caso de ocorrerem resultados desfavoráveis no plano em exercícios futuros.

 


PLANO BDII

O Plano II de Benefício Definido - Plano BDII, fechado a novas adesões desde 2000 e patrimônio de R$ 13,3 milhões, alcançou rentabilidade bruta de 9,69%, superando a meta atuarial (INPC + 5,40% a.a.) de 9,15%. O desempenho da carteira de empréstimo, com 16,74%; de investimentos estruturados, com 14,40% impulsionaram o resultado. O segmento de renda fixa alcançou rentabilidade de 9,60%. 

O plano apresentou um superávit de R$ 1,98 milhões em 2018, levando a um superávit acumulado para R$ 4,96 milhões. “Este plano já está com um plano de distribuição de superávit em curso”, destacou Juliana Koehler. 

O valor do superávit foi alocado na Reserva de Contingência até o limite permitido pela legislação. Após a apuração da Reserva de Contingência, o saldo remanescente do superávit foi contabilizado como reserva especial para revisão de plano.



PLANO PAI – I 

O Plano Associativo Infraprev I (PAI-I), também conhecido como plano ANEI, com patrimônio de R$ 292 mil, teve rentabilidade positiva de 6,22%, abaixo da meta de rentabilidade (INPC + 5,5%a.a.) de 9,12%. Este resultado foi decorrente da não aderência do perfil de investimento desse plano com sua meta de rentabilidade. Sua alocação, tendo em vista seu baixo patrimônio e alta necessidade de liquidez, é direcionada para fundos de investimento em renda fixa de baixo risco, que performa próximo do CDI. “Alteramos a meta do plano para CDI em 2019, de forma a ficar compatível com o tipo de investimento que pode ser realizado com um patrimônio desta magnitude” afirmou Juliana.

O plano é estruturado na modalidade de Contribuição Definida e, por isso, não apresenta déficit ou superávit e não possui meta atuarial. Em 2018, como não houve concessão de benefícios, o plano só compõe Provisão Matemática de Benefício a Conceder.