Plano CV cota 8,224615 | Plano PAI I cota 1,489427 | INPC 0,25% | Poupança 0,37% Dados Julho
INFRAPREV

Infraprev fecha 2017 com rentabilidade positiva

20/03/2018

Todos os planos de benefícios geridos pelo Infraprev superaram suas metas atuariais em 2017.




PLANO CV 

O Plano CV, com patrimônio de R$ 3,1 bilhões, registrou rentabilidade bruta de 11,87%, bem acima da meta atuarial (INPC+5,70%) de 7,76%. A cota líquida teve rentabilidade de 11,33% no ano. 

“Apesar de termos iniciado o ano com a taxa de juros (SELIC) de 13,25% e fechado em 7%, conseguimos compensar essa menor rentabilidade nos investimentos em renda fixa, com um excelente resultado no segmento de renda variável, especialmente no 2° semestre”, explica a diretora-superintendente, Claudia Avidos.

O melhor desempenho foi no segmento de renda variável com 47,92%, seguida de empréstimos com 14,50% e renda fixa com 10,26%. Mesmo com o cenário de queda de juros, o segmento de Renda Fixa superou a meta atuarial e o CDI no período. 

Já o segmento de imóveis apresentou resultado negativo de 5,34%, principalmente em função da reavaliação do valor contábil dos imóveis que compõem a carteira, ocorrida em dezembro e da vacância observada nos imóveis da carteira utilizados para renda. Segundo Claudia Avidos, a carteira ainda está sendo impactada com a retração do setor imobiliário brasileiro, notadamente concentrada no Rio de Janeiro. 

O segmento de investimentos estruturados apresentou rentabilidade negativa de 8,46%, impactada principalmente pela reprecificação dos ativos aplicados no Fundo de Investimentos em Participações (FIP) Multiner e do GR Riviera Industrial. “De acordo com o estudo de ativos e passivos realizado e com a revisão da Política de Investimentos para 2018, a exposição a novos FIPs não está sendo considerada”, enfatizou a diretora-superintendente. 

Com a contribuição positiva dos resultados dos investimentos em 2017, o Plano CV apresentou um superávit técnico de R$ 89,5 milhões no ano, encerrando o exercício com redução do déficit técnico acumulado que ficou em R$ 64,6 milhões, bem inferior ao valor do ano anterior de R$ 154,2 milhões. “Isso nos dá folego, pois considerando, ainda, o ajuste de precificação dos investimentos de R$ 86,8 milhões, o equilíbrio técnico ajustado do plano fechou o ano positivo em R$ 22,2 milhões”, esclarece a diretora-superintendente. 

O valor de equilíbrio técnico ajustado é comparado com o limite de déficit técnico. Isso quer dizer que para este ano, o Plano CV poderia apresentar um déficit de até R$ 84 milhões e ainda assim não precisaria equacionar o déficit. O Plano, entretanto, considerando o ajuste de precificação, apresentou equilíbrio técnico ajustado positivo equivalente a R$ 22,2 milhões, afastando a necessidade de um equacionamento. 

Apesar da alteração da meta atuarial de 5,70% para 5,60%, que não impactou negativamente o resultado do Plano, outras alterações de hipóteses atuariais no final do ano, como crescimento salarial menor e maior rotatividade esperada na patrocinadora Infraero ajudaram a compor o superávit alcançado em 2017.

 

PLANO BDI SALDADO 

Com patrimônio de R$ 85,98 milhões, o Plano BDI Saldado obteve rentabilidade bruta acumulada no ano de 8,97% e também superou a meta atuarial (INPC+ 5,50%) de 7,55%. Os melhores desempenhos foram nos segmentos de empréstimos com 15,97% e de renda fixa com 9,64%. Os investimentos estruturados tiveram rentabilidade negativa de 22,52%. Mas como a participação desse segmento no total de recursos geridos é de apenas 1,60%, afetou pouco o resultado final do plano. 

O Plano, que se encontra fechado para novas adesões, apresentou superávit técnico acumulado no encerramento de 2017 no montante de R$ 7,2 milhões. O Plano encerra o exercício mantendo a situação superavitária, apesar de ter registrado déficit de R$ 2,1 milhões em 2017. Embora os investimentos tenham tido uma performance positiva, fatores atuariais influenciaram negativamente o resultado: a alteração da taxa de juros de 5,50% para 5,44% e a atualização de valores de benefícios atrelados ao índice de reajuste dos salários do patrocinador, prevista no regulamento.  

 

PLANO BD II 

O Plano BDII, que tem R$ 13,8 milhões de patrimônio, alcançou rentabilidade de 9,00% para uma meta atuarial (INPC+5,40%) de 7,45%. O segmento de empréstimo com 19,35% e de renda fixa com 9,69% impulsionaram o resultado e compensaram o desempenho negativo de 23,33% nos investimentos estruturados. 

O Plano, também fechado para novas adesões, apresentou superávit técnico acumulado em 2017 no montante de R$ 2,9 milhões, tendo tido um superávit no ano de R$ 717,5 mil. Além do bom resultado dos investimentos, o resultado do plano foi influenciado positivamente pela antecipação da aposentadoria de alguns participantes frente ao que estava previsto, gerando uma provisão de benefícios a conceder menor.

 

PLANO PAI – I 

O Plano Associativo Infraprev I (PAI-I), também conhecido como plano Anei, com patrimônio de R$ 259 mil teve também rentabilidade positiva de 9,90%, acima da meta atuarial (INPC+ 5,50% a.a) de 7,68%, que é resultado do investimento exclusivamente no segmento de renda fixa. 

Não ocorreram variações significativas nas Provisões Matemáticas do PAI-I. Em 2017, não houve concessão de benefícios, dessa forma, não houve constituição de Provisão Matemática de Benefícios Concedidos.