Plano CV cota 7,7997024 | Plano PAI I cota 1,4470186 | INPC 0,37% | Poupança 0,47% Dados Outubro
SUSTENTABILIDADE

Confira dicas sustentáveis pelo portal e Facebook

11/11/2014

Foi lançada no Facebook a campanha INFRAPREV Sustentável. A cada semana, na rede social e no portal, uma dica será publicada sobre práticas que podem colaborar com o meio ambiente. A primeira dica é sobre descarte de pilhas e baterias.

 

Como descartar pilhas e baterias? 

A degradação de pilhas e baterias varia entre 100 e 500 anos. Contudo, os metais utilizados na produção levam um tempo consideravelmente maior para serem degradados no curso da natureza. 

Um estudo conduzido pela doutora em Agronomia, Maria Emilia Mattiazzo-Prezotto, em conjunto com a engenheira agrônoma Edna Ivani Bertoncini, indica a baixa mobilidade do cádmio e do zinco, substâncias presentes em pilhas e baterias. 

A disposição inadequada dos metais pesados afeta toda a natureza, o que, é claro, inclui o corpo humano. Ainda que a ingestão ou o contato com estas substâncias seja mínimo, os riscos de desenvolvimento de uma doença grave existem. O cádmio está associado, por exemplo, ao câncer, à disfunção renal e aos problemas pulmonares. O chumbo, presente em lâmpadas LED, é apontado por especialistas como causador de anemia, encefalopatias entre outras doenças graves. 

A resolução Nº 257/99 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), órgão ligado ao Ministério do Meio Ambiente, define que a responsabilidade sobre os materiais tóxicos é do gerador. Ela estabelece que “pilhas e baterias que contenham em suas composições chumbo, cádmio, mercúrio e outros compostos, tenham os procedimentos de reutilização, reciclagem, tratamento ou disposição final ambientalmente adequados".

Quando o consumidor faz a sua parte e recolhe o lixo de maneira adequada, ele ajuda a ativar a responsabilidade das empresas sobre a eliminação dos resíduos.  Para isso, o consumidor deve pesquisar os programas de devolução das embalagens dos fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes, promovendo o descarte nos lugares disponibilizados por eles. 

(Fontes: fec.unicamp.br; mma.gov.br; sbcs.solos.ufv.br; pgquimica.sites.ufms.br)